Confidencial
Subscrever Newsletter

 

Timor-Leste: Fundação Mahein pede às Forças de Segurança que não usem violência | Jornal Digital
Lusofonia

Processo eleitoral

Timor-Leste: Fundação Mahein pede às Forças de Segurança que não usem violência

2012-04-09 17:46:52

Díli - A Fundação Mahein pediu aos líderes da Polícia e das Forças de Defesa para não usarem armas contra pessoas que possam criar um clima de violência durante o processo eleitoral, pois estariam a agir contra a lei.

Recentemente, o Comandante das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), Major General Lere Anan Timur, ameaçou atirar a matar qualquer cidadão que cometa actos de violência durante o período de eleição geral.

No final de Fevereiro, o Comandante-Geral da PNTL, Longuinhos Monteiro, ordenou também aos seus oficiais para dispararem contra qualquer pessoa que avistem a tentar sabotar o processo de eleições gerais, na sequência de acções de desconhecidos, que atiraram cocktails molotov aos
Escritórios da Secretaria de Apoio Técnico Eleitoral (STAE).

A ONG Mahein disse lamentar o tom violento destes comentários, alegando que serve apenas para acentuar as tensões e aumentar o trauma e o medo entre a população.

«Isso também serve como uma barreira para os cidadãos comuns participarem no processo democrático de escolha do novo Chefe de Estado do nosso país», afirmou a fundação.

«A Fundação Mahein (FM) gostaria de lembrar aos comandantes de ambas as Forças de Segurança acerca dos direitos dos cidadãos consagrados nas leis e Constituição da RDTL. O papel da F-FDTL e PNTL é proteger e servir a comunidade e defender o Estado de Direito. Temos um sistema de justiça e as nossas Forças de Segurança não podem tomar a lei nas suas próprias mãos, aplicando um regime de atirar primeiro e perguntar depois».

«A FM chama ambas as entidades a ajustarem-se com as comunidades, em vez de usarem retórica violenta. A forma tradicional de diálogo timorense, Nahe biti Boot, poderia ser utilizada como um modelo, tanto para a F-FDTL como para a PNTL. O seu papel é manter a ordem e a segurança no respeito pelo Estado de Direito. A FM apela, mais uma vez, a uma maior integração das operações durante este período eleitoral».

«Os Comandantes de ambas as Forças de Seguranlça podem usar as suas posições de influência para chamarem a atenção dos políticos, no sentido de orientarem os seus militantes, de modo a ser criada uma solução pacífica no processo democrático. Timor-Leste é uma nação pequena mas conhecida internacionalmente. A FM espera que o país dê o exemplo a outras nações que estiveram em conflito», disse a ONG.

(c) PNN Portuguese News Network

Partilhar
MAIS ARTIGOS...
  Guiné-Bissau: Comunidade internacional aplaude exoneração de António Indjai
  São Tomé e Príncipe pede ajuda internacional para prevenir o ébola
  Guiné-Bissau: «Reclamar herança de Cabral significa responsabilidade de todos os guineenses»
  Guiné-Bissau: MAI devolve mais de 33 milhões de Francos ao Tesouro Público
  Guiné-Bissau: António Indjai exonerado pelo Presidente da República
  Guiné-Bissau: FMI quer disciplina fiscal a curto prazo para relançamento da economia
  Guiné-Bissau: Governo anuncia metas para aumentar receitas públicas
  Militares da Indonésia realizam missão em Timor-Leste
  São Tomé e Príncipe: Governo garante meios para a realização das eleições
  Cabo Verde: Ano lectivo arranca esta segunda-feira
  PR de São Tomé e Príncipe visita a Guiné Equatorial
  São Tomé e Príncipe: UDD confirma recandidatura de Gabriel Costa a Primeiro-ministro

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


MultimÉdia
   
Subscrição de TV integrada em pacote regista aumento
   
Morreu jornalista russo desaparecido na Ucrânia
   
Judite Sousa regressa à televisão com entrevista a Cristiano Ronaldo
Cartoon
Jornal Digital | Notícias em Tempo Real | Desde 1998
Hospedagem de Sites Low Cost Cabinda Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais