Confidencial
Subscrever Newsletter

 

Timor-Leste: Cerimónia de assinatura do pacto de paz | Jornal Digital
Lusofonia

Período de campanha presidencial começa hoje

Timor-Leste: Cerimónia de assinatura do pacto de paz

2012-02-28 17:48:47

Díli - Os candidatos presidenciais e os partidos políticos assinaram oficialmente um pacto, esta segunda-feira, 27 de Fevereiro, prometendo trabalhar em prol de eleições pacíficas e no reforço da unidade nacional.

O evento, organizado pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), também deu a cada candidato presidencial uma oportunidade para divulgarem os planos para o mandato.

12 dos 13 candidatos presidenciais assinaram o pacto de paz. O candidato Francisco Xavier do Amaral não pôde estar presente dado que estava a receber tratamento médico.

Os representantes dos 24 partidos políticos, ASDT, FRETILIN, CNRT, KOTA, PD, PSD, PPT, PUN, PDRT, UNDERTIM, PST, PNT, PR, PMT, UDT, PDM, PLPA, FRENTI-Mudansa, PDL, PTT, APOP, KHUNTO e PDL, assinaram um pacto de unidade nacional. O PDC não foi representado.

Como parte do acordo, os candidatos presidenciais prometeram fortalecer a paz, independentemente do resultado das eleições, bem como a apoiar o novo Presidente e membros do Parlamento Nacional.

Os participantes também falaram sobre as suas visões e declarações de missão durante um debate público.

Os 12 candidatos presidenciais actuais, Manuel Tilman, Taur Matan
Ruak, Francisco Guterres Lu-Olo, Rogério Tiago Lobato, Maria do Céu,
Angelita Pires, José Ramos-Horta, Francisco Gomes, José Luís Guterres,
Abílio Araújo, Lucas da Costa e Fernando Lasama de Araújo, prometeram que, caso vençam as eleições, vão esforçar-se para resolverem todos os problemas, de acordo com a capacidade do Estado de Timor-Leste.

O Presidente José Ramos-Horta disse estar a concorrer para a reeleição porque pretende fortalecer a paz e o desenvolvimento do país.

«A minha motivação é a mesma de 1975, quando recebi a responsabilidade de ir para o exterior na primeira directiva do Conselho de Ministros. Nicolau Lobato confiou em mim. Durante 24 anos juntei-me àqueles que inspiraram a luta de Timor-Leste para ganhar a independência e reforçar a reconciliação da paz», declarou o Presidente timorense.

José Ramos-Horta disse acreditar que os pobres do país continuarão a votar em si, porque muitos dos problemas do país ainda não foram resolvidos.

Abílio Araújo disse ter visto que o povo timorense ainda sofe de várias maneiras e que gostaria de ser Presidente para melhorar a vida das pessoas.

Ele prometeu trabalhar em conjunto com o Estado, a Igreja, a Polícia, as
forças de Defesa, ONG´s e todos os povos do país para promover o seu estado de desenvolvimento.

Francisco Guterres Lu-Olo disse que todas as pessoas sonham em ter paz e, caso seja eleito, irá trazê-los «das trevas para a luz».

«Eu quero lutar por esta terra e para continuar a trabalhar sempre para
o meu povo. Uma das razões fundamentais de se tornar Presidente da
República é garantir a paz e a estabilidade no país», referiu o candidato Francisco Guterres.

A candidata Maria do Céu disse que pretende abordar a igualdade e todos os problemas que a nação enfrenta. Sublinhou ainda que o tétum precisa de ser fortalecido como língua nacional.

Rogério Lobato disse que irá esforçar-se para entregar democracia, justiça e unidade aos cidadãos e que observou que, durante dez anos de independência, a classe pobre de Timor-Leste tem sido punida pelos seus crimes mas que as pessoas com elevada posição nunca são levadas à justiça.

Francisco Gomes disse que é tempo para as pessoas de Timor-Leste viverem em paz e deixarem de lado os problemas que estão a trazer a nação para um nível mais baixo.

Manuel Tilman é de opinião que o petróleo de Timor-Leste e as receitas do gás devem ser usadas para melhorar a vida das pessoas do «Maubere» e «Buibere».

José Luís Guterres disse que pretende resolver os problemas dos idosos e melhorar a qualidade de vida dos jovens através de meios, incluindo o fornecimento de educação.

Lucas da Costa disse que a Constituição de Timor-Leste tem sido violada durante os últimos 10 anos e, caso se torne Presidente, irá defender a lei da Nação.

Disse também querer implementar uma maior utilização do tétum uma vez que o uso do Português e do Inglês constituem uma «discriminação» contra os timorenses que não falam esses idiomas.

Lucas da Costa é de opinião que se deve levar os perpetradores dos crimes
cometidos em 1999 a um tribunal internacional e que pretende incentivar o Parlamento Nacional a rever algumas partes da Constituição da República.

Angelita Pires também expressou as suas preocupações com a justiça, sublinhando que as pessoas que sofreram nas crises de 2006, por exemplo, ainda não foram compensadas.

A mesma candidata também prometeu tratar dos direitos das mulheres e crianças, entre outras questões.

Por sua vez, Taur Matan Ruak referiu que visa melhorar a vida das pessoas de Timor-Leste e que pretende dignificar todos os cidadãos, reconhecendo as aspirações do povo e respeitando os pensamentos de todos os membros da sociedade.

Fernando Lasama de Araújo disse que queria ser Presidente para servir o
povo e do Estado com base na lei.

Para Rui de Araújo, caso se torne Presidente e Xanana Gusmão seja
reeleito Primeiro-ministro, os dois irão trabalhar juntos para consertar o país.

Francisco Xavier do Amaral foi representado por João Correia, que disse que o próprio candidato não pode estar presente devido a um problema de saúde mas que tem muita experiência que lhe será bastante útil no exercício do cargo de Presidente.

O Presidente da CNE, Faustinho Cardozo, disse que seu escritório não iria punir Francisco Xavier pela falta ao debate, uma vez que o evento foi destinado apenas a reunir os candidatos para que pudessem compartilhar as suas declarações de missão.

O período de campanha presidencial começa oficialmente esta terça-feira, 28 de Fevereiro. A eleição será realizada a 17 de Março.

(c) PNN Portuguese News Network

Partilhar
MAIS ARTIGOS...
  Cabo Verde: José Maria Neves apela à precaução para evitar criminalidade
  Cabo Verde: José Maria Neves envia condolências à Zâmbia
  Processo político na Guiné-Bissau confere papel de estabilizador à comunidade internacional
  Moçambique: Desarmamento da Renamo começa hoje a ser fiscalizado
  Representante da ONU na Guiné-Bissau fala sobre consolidação do Estado de direito
  Embaixada da África do Sul rectifica declarações ao Bissau Digital
  Guiné-Bissau: Governo em «contactos intensos» com a comunidade internacional
  África do Sul apoia a Guiné-Bissau na reestruturação do aparelho administrativo
  Timor-Leste: Silvério Baptista é o novo Provedor de Justiça e dos Direitos Humanos
  São Tomé e Príncipe: PR pede ao ADI para indicar o nome do PM em 48 horas
  Cabo Verde: Jorge Carlos Fonseca felicita Dilma Rousseff
  Guiné-Bissau: Governo cria postos de controlo de entrada e saída de mercadorias

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


MultimÉdia
   
ERC debate desafios dos media na era digital
   
Morreu o jornalista Fernando de Sousa
   
Prémio de Jornalismo «Direitos Humanos & Integração» atribuído a 25 de Setembro
Cartoon
Jornal Digital | Notícias em Tempo Real | Desde 1998
Hospedagem de Sites Low Cost Cabinda Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais